08 August 2008

Por queque as adversidades nos tornam mais fortes?

(aviso já que esta é uma "posta" mais séria que as do costume...)

Sempre fui uma pessoa extremamente racional, ao ponto de me chamarem várias vezes Extra-Terrestre e de a minha mãe, embora nunca o tenha admitido, se perguntar frequentemente se eu não teria sido trocada no Hospital onde nasci (Particular de Lisboa, fica a info).

Ultimamente, tem-me sido permitido pôr a minha racionalidade um bocadinho de lado, por proximidade de alguém (muito especial, by the way) que é racional por mim e por si, permitindo-me assim alguns rasgos de acções dominadas pela emoção (das quais, by the way, again, gostei muito).

No entanto, não posso (e agora muito menos) ceder à tentação de deixar descansar a minha racionalidade; E as pessoas racionais não acreditam naquilo que vulgarmente designamos de "Sorte na Vida" (só acreditam na "sorte ao jogo" de vez em quando; "sorte ao Amor", para nós, é um conceito que também não existe): as pessoas racionais acreditam que a "sorte" é construída por cada um de nós ao longo da sua vida, e que todas as acções e acontecimentos são consequência e resultado de outras, nas quais somos o sujeito activo.
Por esta razão, num momento de adversidade, não posso sentar-me a lamentar a minha má sorte... devo, antes, ter a humildade de admitir que, em última instância, todo e qualquer acontecimento menos feliz, é da minha responsabilidade.

E portanto, fazer o quê? Analisar. Reflectir. Aprender com os erros e fazer por não os repetir. Não esquecer de distribuir aquilo que os que nos rodeiam merecem: agradecimentos para alguns, pedidos de desculpa para outros (ou para os mesmos) e manguitos bem grandes (com alguns nomes muito feios à mistura, só porque faz parte) para outros...

E andar para a frente, que atrás vem gente!

[e respondendo à minha pergunta, não acho que as adversidades, só por si, nos façam mais fortes... O que verdadeiramente nos fortalece são as lições que retiramos delas]

2 comments:

João Esquecido said...

Infelizmente, para mim é difícil aprender com os meus erros... Quer dizer, aprender aprendo, mas a curto -prazo. A minha memória não me deixa atingir o grau de sapiência desejado.

friki said...

Se precisares de mais dedos, os meus estão disponíveis :)

.|.